quinta-feira, 31 de maio de 2012

Deixando de lado o que não vale a pena



Há duas semanas atrás eu fui para o Rio.Planejava esta viagem há alguns meses para ficar uns dias ao lado de uma tia muito querida que fez parte ativa da minha vida desde a infância.Ela está muito doente, com uma degeneração neurológica.A pessoa pára de andar, de movimentar os braços, de deglutir e até de respirar, mas a  consciência continua intacta, ou seja, a pessoa tem plena noção do que está acontecendo com o próprio organismo e não há nada a se fazer a não ser esperar a hora que o organismo entre em falência.É muito triste, angustiante.Porém, a minha estada ao lado dela foi muito boa, proveitosa, como sempre foi.O que choca é o que você vê.Como uma pessoa ativa, que sempre gostou de tocar piano, ir a concertos, estudar e ler, está completamente incapacitada fisicamente.A cabeça continua a mesma,rica, culta e a conversa flui agradável.Tem horas que nem lembrava das limitações dela a não ser na hora de andar, levantar da cama e comer.Ela está encarando tudo de forma muito natural e de frente.Admirável.Em nenhum momento ouvi palavras depressivas ou revoltadas.Somente conversa realista, sobre a vida e a morte.

Não quero causar uma impressão triste ou deprimente com este post.Mas, esta é mais uma situação na minha vida que me leva a reafirmar e repensar o valor da nossa passagem aqui neste planeta.E vejo que estou pensando certo.Temos que viver intensamente, fazer e curtir quem você ama, ter o livre arbítrio de ser feliz.Despir-se de mediocridades, egoísmos,mesquinharias e superficialidades...simplesmente viver da melhor forma possível, longe de conflitos, competições ridículas e valores pífios.Temos que estar acima destes pequenos valores para que a vida valha realmente a pena, relevar muita coisa e manter-se afastado de situações ou pessoas que procuram te magoar.

Portanto, decidí que imigrar para mim não é nem nunca foi um caminho para glórias financeiras.Estou a procura do "meu canto" onde eu possa viver tranquilamente, curtindo a minha casa, a minha família, a "minha rua", a"minha" cidade, a "minha" vizinhança, o "meu" parque,respeitando e sendo respeitado como cidadão.Acima de tudo isso, quero aprender muito.Aprender uma nova cultura e mergulhar de cabeça nela.Definitivamnte quero viver e levar o melhor desta vida quando tiver que partir.Assim como minha querida tia está fazendo...

7 comentários:

  1. Olá Marcelo!!!

    Obrigado pela força, eu não vou desistir, vou seguir em frente e por mais que demore, eu sei que vou conseguir, e na profissão que eu gosto!!

    Como vc citou no seu post, tbém estou indo para o Canadá, para ter qualidade de vida, para poder andar tranquilamente na rua, na cidade, ser respeitado como cidadão, viver em uma sociedade mais justa, e vivenciar novas culturas, pois nesse mundo estamos sempre estamos apendendo, a sua tia é um exemplo para todos, nunca lamentando, mais sempre aproveitando cada momento!!!

    Eu tenho certeza que em breves vamos receber ótimas noticias suas! E quando menos imaginar já estará indo para o Canadá, e começar a aproveitar a nova fase da sua vida!!

    Abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado,William!Já vi que vc é um dos meus grandes incentivadores!!Obrigado!Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro Marcelo, estou torcendo por vc! e sei q logo vai ter ótimas noticias no seu blog!! Abração

      Excluir
  3. Não é fácil não meu amigo, a vida da gente passa muito rápido, temos que fazer as escolhas certas... bjs

    ResponderExcluir
  4. Lindo post, Marcelo!!
    Concordo plenamente com o que vc escreveu...

    E o poeminha da abertura, literalmente me emocionou... tô chorando como uma criança. Mas isso é bom pra alma, né?

    Beijos,
    Pati

    ResponderExcluir
  5. Obrigado,Pati.É assim que acredito que devem ser feitas as nossas escolhas nesta vida.Sempre tentando acertar e levar daqui o que realmente importa.
    Bj

    ResponderExcluir